A Profissionalização da Gestão Pública

Capa da 4ª edição da Revista Gestão Pública, do Instituto Gestão/SEPLAG-PE

Capa da 4ª edição da Revista Gestão Pública, do Instituto Gestão/SEPLAG-PE

Analista de Planejamento, Orçamento e Gestão, Analista de Controle Interno e Analista em Gestão Administrativa. Essas são as carreiras que estão mudando a Administração Pública do Estado de Pernambuco, rompendo as barreiras das disfunções burocráticas e garantindo resultados efetivos à sociedade.

Criados em 2008, os referidos cargos foram concebidos no âmbito do Modelo Integrado de Gestão, institucionalizado por meio da Lei Complementar nº 141, de 3 de setembro de 2009, com o objetivo de ampliar o desempenho geral do Governo do Estado na entrega de bens e serviços à sociedade, com a qualidade necessária e cada vez mais cobrada pela população.

Esse objetivo se materializou com o concurso para a seleção dos gestores, que atraiu pessoas jovens, qualificadas e familiarizadas com a tecnologia, elementos necessários para a mudança de cultura organizacional pretendida.

Adicionalmente, a remuneração desses servidores está atrelada ao cumprimento de uma carga horária mínima anual de formação continuada, e à avaliação de desempenho, realizada com o estabelecimento de metas institucionais, cujo atingimento é condição para o incremento de um bônus salarial anual. Além disso, para avançar na carreira, é necessário que o servidor, em determinado momento, conclua uma pós-graduação em sua área de atuação, o que incentiva ainda mais a procura por qualificação profissional.

Assim, a criação dessas três carreiras faz parte do processo de profissionalização da gestão pública, que está se consolidando em todo o país. O grande desafio é evitar o turnover e manter esses profissionais motivados, para o que se faz necessário reconhecimento e valorização das carreiras.

Este assunto foi abordado com profundidade na 4ª edição da Revista Gestão Pública, produzida pelo Instituto Gestão, vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado. Recomendamos a leitura!

Anúncios

Pernambuco reforça a profissionalização da Gestão Pública

No último dia 11 de outubro o governador Eduardo Campos assinou um projeto de lei que propõe a transformação dos 969 cargos comissionados em funções gratificadas de direção e assessoramento. Esta iniciativa representa um importante passo em direção a profissionalização da Gestão Pública em Pernambuco, incentiva o plano de cargos e carreiras e aponta uma redução de R$ 25 milhões na folha de pagamento do Estado.

“Nos últimos três anos, fizemos concurso para analista em diversos segmentos de atuação (gestão, planejamento e controle interno). Com essas seleções, nós começamos a preparar essas pessoas para assumirem determinadas funções no Executivo”, afirmou o secretário de administração Décio Padilha.

Segundo levantamento realizado pela AAPOG, atualmente 24,5% dos Analistas de Planejamento, Orçamento e Gestão possuem algum cargo ou função gratificada.

Para conferir a matéria na íntegra, acesse o link.